Quando aquele sujeito de altura mediana, cabelos ralos e sotaque latino me abordou no corredor do oitavo andar para dizer “bom dia” – numa clara tentativa de improvisar fluência em língua portuguesa – não imaginava que dali a poucos minutos iria descobrir sua verdadeira identidade. Diretor editorial de um jornal de El Salvador, seu nome era Carlos Dada. Figura das mais simpáticas e com uma trajetória invejável. Estávamos ali para a abertura do seminário internacional de jornalismo investigativo. Organizado pelo Canal Futura e a Fundación para o Nuevo Periodismo Iberoamericano, com sede em Cartagena, Colômbia, o evento reuniu cerca de 40 profissionais interessados na cobertura de temas relacionados à segurança pública. Entre eles, Carlos. Jornalista de longa data e tiro nas costas, ele apresentou aos colegas de trabalho uma reportagem em vídeo sobre uma rede de corrupção entrelaçada por políticos, policiais, empresários, fazendeiros e mais uma dúzia de personagens envolvidos nas mais variadas formas de crime e contravenção. Com nomes e fotos dos rostos dos criminosos estampados em tela cheia, o material é prova de que a imprensa tem, sim, papel determinante na busca por desenvolvimento humano e justiça no mundo. Mais detalhes em http://www.elfaro.net/

Onde há falta de acesso à educação e pobreza há mais chances de comprometer o futuro de uma criança. Por isso, esclarecer à sociedade onde e como acontecem os fatos, de forma contextualizada, é dever cívico de um jornalista. Não se entregar ao primeiro relato e comparar fontes e dados é obrigação. Não tive razões para admirar Carlos em meio aos demais. Cada um tinha uma história pra contar e um ponto de vista a defender. Políticos, jornalistas, lideranças comunitárias, empresários, analistas… não importa. O fato é que, seja em um país com o tamanho do Brasil ou de El Salvador, a rotina de profissionais de comunicação tem semelhanças ao ponto em que o encontro entre alguns deles pode fazer a diferença no dia-a-dia de milhões de leitores e telespectadores. Saio bastante satisfeito da intensa troca de experiência com este grupo maravilhoso e espero poder colocar em prática boa parte do que ouvi.

Na foto acima, Carlos Dada está sentado e veste camisa preta.

Abaixo, um trecho do programa Sala de Notícias em Debate com outros colegas do encontro.

leia+ http://www.futura.org.br/canal-futura-promove-seminario-de-jornalismo-sobre-seguranca-publica/