Palavra do dia: espera. To em casa esperando o vidraceiro. Exercício de paciência em que só consigo mirar os ponteiros do relógio. O cabra diz que tá chegando, mas sabe como é, na verdade, nunca se sabe ao certo como é. Situação normal de dia cheio que começa atrasado. O jeito é sentar a bunda no sofá, escrever um post e tomar mais um gole de café. Caramba, olhei o relógio de novo. Nada. Da varanda vejo o movimento na portaria de serviço. Calmaria. O barulho do cortador de grama do vizinho soa como uma motos-serra nos meus ouvidos. Mais alguns minutos e me pergunto: por que as pessoas dizem na véspera que estarão na sua casa no dia e hora marcados se não conseguem honrar seus compromissos. Dever ser um problema da categoria. Será? Vidraceiro, pedreiro, marceneiro e todos os eiros da face da Terra. Acho que são todos iguais quando o assunto é o tal do compromisso… Putz! O interfone tocou. Chegaram. Ok, uma hora de atraso. Vamulá…