Auto-retrato de frente para o Morro do Pico em Fernando de Noronha.

Alguém já viu aquele filme “Na natureza selvagem”? Aquele, do jovem estudante americano que abandona tudo pela busca de uma aventura? Pois bem. O rapaz segue rumo ao norte. Rumo ao Alasca. Caminha por dias, semanas, meses… talvez anos. Faz novos amigos, vive experiências incríveis e acaba traído pelo destino. Levante a mão quem nunca sentiu vontade de sair por aí, sem rumo, em busca do nada, só para ver como é. Tem dias no  trabalho que fazemos um esforço tremendo para não jogar tudo pro alto. Hoje foi um deles. Pura TPF, tensão pré-férias. Acontece com qualquer um. Dias melhores, dias piores, dias de paz, dias a mais. Pensei em outro título holywoodiano: “Um dia de fúria”. Michael Douglas na veia. Puro Rock n’ roll com direito a doses cavalares de cafeína nos intervalos da labuta. Obviamente, não poderia esquecer em um momento como este de Charles Bronson e seu “Desejo de matar”. Por fim, meu time perdeu a invencibilidade no campeonato brasileiro. Na verdade, não foi uma derrota, foi algo humilhante para os padrões rubro-negros. Enfim, meus caros e caras, só o travesseiro me resta. To me sentindo o Raul Cortez da novela da Globo: enjaulado e contando os dias para a fuga deste universo paralelo chamado stress.

Boa noite.