Adoro o bairro de Santa Teresa. Ver o Rio do alto é privilégio de poucos. Sentir a Floresta da Tijuca de perto me lembra a infância na serra de Petrópolis. Temperatura amena e cheiro da jaca no ar. Beleza rara que contrasta com a insegurança ao cair da tarde.  Pegar o bonde andando não é piada para os locais. Vez por outra alguém se machuca ou até passa dessa pra melhor.

 

Quando os amigos me chamam para um almoço, logo lembro do Largo dos Guimarães. Local de cerveja em garrafa, chinelos nos dedos e informalidade.  Entre ruas tortas e trilhos de bonde passei alguns bons tempos da minha vida naquela região. Recentemente revisitei o Parque das Ruínas após uma truta com alcaparras no Marcô. Tarde feliz de um sábado sem relógio.