motoboyHoje, pela manhã, quando estava pegando um táxi a caminho do trabalho, olho pela janela do veículo e vejo um homem com capacete tomando uma dose de cachaça no boteco perto do ponto. Eram 8h15 e o cabra já estava mandando pra dentro uma talagada de cana. Nada contra. Também aprecio a boa e velha cervejinha e a nossa mais famosa bebida tipo exportação, tudo bem que não às 8h15 da manhã de um dia de semana. Era um motoboy. Tomou, vestiu o capacete daquele jeito que mais parece uma viseira, sentou na motoca e partiu endiabrado furando o sinal. Depois me perguntam como á que a violência no trânsito mata mais de 400 motoqueiros destes por ano no Brasil, ou seja, a cada dia, um que sai de casa pra trabalhar, não volta. E desce mais uma dose, comandante. Fecha a conta e passa a régua.