Com essa eu morri de rir…

Na verdade, não sei se o que senti foi a tragédia dentro da comédia ou a comédia dentro da tragédia.

De passagem por Niterói para cobrir uma exposição no MAC – Museu de Arte Contemporânea – resolvi observar um dos atributos da cidade: a vista do Rio de Janeiro. Quando mudo o campo de visão e olho um pouco mais para esquerda, vejo um ponto indefinido, um borrão, algo  boiando a uns 200 metros da praia. Demoro a entender a cena e quando cai a ficha… bom, tive que fazer o registro em vídeo.

 

Vida de pescador é dureza, afinal, quem não tem remo, nada com braço…