Estive hoje pela manhã no prédio da prefeitura do Rio para uma entrevista com o Secretário Municipal de Assistência Social, Rodrigo Bethlem, sobre crianças e adolescentes em situação de rua. Durante o chá de cadeira que precedeu a gravação em 40 minutos, observei a paisagem pela janela do quinto andar. Surpreso fiquei ao me deparar com esta estrutura ridícula sobre a Avenida Presidente Vargas. Útil, sim. Bonita, bom… sei que gosto não se discute, mas PELAMORDEDEUS!!!

Segue o relato da jornalista Ana Mascia Lagôa, radicada em Teresópolis, sobre a mobilização da sociedade civil pela reconstrução das cidades da região serrana do Rio de Janeiro.

” Em meio a toda dor do luto e do abandono em que a cidade se encontra, pequenos grupos de humanos que ainda acreditam que seja possível um acordo amistoso com Gaia seguem unindo forças e talentos na busca do renascimento. Pequenas e preciosas Fenix, que amam estas montanhas; vozes juvenis, outras nem tanto; artistas, sempre eles, nossa melhor safra nestes parcos 150 mil anos de peregrinações em busca da sobrevivência da espécie, bardos, poetas, cantores, tocadores, humanos muito queridos.”

 

Oficialmente a folia acabou na quarta de cinzas.

É, minha gente, vamos tratar de varrer a poeira pra debaixo do tapete porque o ano já deixou pra trás 90 dias e está prestes a sair do papel. Na carona dos foliões apaixonados pela festança mais tradicional do Brasil, deixo com vocês um pouco do que foi exibido no Jornal Futura nos dias de samba no pé, beijo na boca e muita diversão. Abaixo, trechos do que representa a alma carnavalesca em três das principais praças onde o couro come nesta época do ano: Rio de Janeiro, Recife e Salvador.

Da guitarra baiana ao batuque da periferia carioca, nossas equipes conversaram com Maestro Formiga, Armandinho e Zeca da Cuíca. Acompanharam ensaios e ouviram estórias do Ilê Ayiê, dos Filhos de Gandhi, afoxés, trio elétrico, caboclinhos, maracatus, das escolas de samba dos grupos C, D e E em comunidades apaixonadas pelo carnaval e muito mais.

Sou suspeito para falar, mas o material está SENSACIONAL!! Parabéns a Pablo de Moura, Roberto Silva, Dani Moura, Paula Schtinne, André Ramos, Jefferson de Paula, Carlos Félix, Ricardo Conque, Ana Beatriz Petrini, Miguel Vassy, Alexandre Gwaz, Alexandre Sampaio, Marcílio Brandão, João Alegria, Luciana Ribeiro e tantos outros que colaboraram com a realização deste projeto.

Do improviso ao riso. Da tradição à edição. Do bom humor ao mau humor. Da emoção à razão. Do prazo ao fim do prazo ao novo prazo e à entrega. Da dedicação à lamentação. Da descrença à fé. Do certo ao errado que estava certo ao pensar que errou. Do pandeiro ao atabaque. Do baque ao boteco. Do brinde à certeza de um bom trabalho em equipe.

 

Jovens do projeto Geração Futura 2011

Me beija que eu sou cineasta.

Não… não… não se trata do bloco de carnaval que arrasta foliões pelas ruas do Rio de Janeiro. A turma acima faz parte de mais uma safra de jovens talentos do audiovisual. Todos os anos, estudantes do país inteiro participam de oficinas no Canal Futura para formação em cinema e TV.

Manhã dessas passei com eles trocando em miúdos alguns calsos de carreira. As produções foram exibidas no Jornal Futura na semana entre 1 e 4 de março e estão disponíveis no www.youtube.com

www.sosmatatlantica.org.br

Manhã de terça-feira, meados de abril de 2010. O Rio de Janeiro estava, novamente, sob forte chuva. O prefeito foi à televisão pedir aos moradores não saírem de casa. Ruas alagadas, árvores caídas, o povo sem condições de transporte para seguir ao trabalho e muita apreensão no ar.

O meu telefone toca. Do outro lado da linha o chefe.

- Zé Brito. Tudo bem?

- Tudo.

- Tá em casa.

- Tô.

- Vai sair…

- Não pretendo.

- Vai sim.

- Ok, foi o que eu disse. Pretendo sair.

- (risos)

- (risos)

 

Dadas as cirunstâncias, a tarefa era simples e oportuna. Seria necessária uma visita ao Copacabana Palace. O entrevistado estava na cidade por pouco tempo e retornaria aos Estados Unidos antes do anoitecer. Não tive escolha. De pronto chamei um taxi e segui para Copacabana, onde encontrei a jornalista Adriana Levis.

Com uma câmera portátil e autorizados pela recepção do hotel chegamos à suíte 1204. Somos recebidos por um simpático professor e com ele passamos cerca de 40 minutos em um bom bate papo sobre um tema que é a base do desenvolvimento em qualquer país; e que em alguns locais ainda enfrenta resistência para se adequar às mudanças da sociedade moderna: a educação.

 

Fernando Reimers é professor de Educação Internacional da Universidade de Harvard.

 

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.